Vitória dos trabalhadores: Santander atende movimento e coloca vigilantes armados em agência

0
98

Na manhã desta sexta-feira, 13, o Santander Tirol amanheceu com a cobertura armada de dois vigilantes. O fato ocorreu depois da agência passar 10 dias fechada pelos Sindicatos dos Bancários e dos Vigilantes. Essa é a maior prova que a classe trabalhadora tem força e precisa se unir para mais conquistas. Foram dois postos de vigilantes reativados e ainda a segurança de funcionários e clientes da agência restituída.

Tudo começou há cerca de um mês quando o Santander resolver transformar a agência em um novo modelo adotado pelo Banco chamado de slim. A chamada “agência inovadora’ não conta mais com caixas presenciais, os caixas de autoatendimento fazem depósitos online, sem envelopes e com entrada automática na conta. Tudo muito bonito, não fosse o outro lado da moeda. Com as mudanças o Banco também retirou a porta rotatória da agência e o segurança armado deixando funcionários e clientes à mercê da violência.

O Sindsegur fez visita a agência, os Bancários tentaram negociar com a empresa, sem sucesso, até que no dia 03 de setembro os bancários iniciaram um piquete e não permitiram mais a abertura da agência. O Santander entrou na Justiça com um interdito proibitório exigindo o fim do piquete, o que foi indeferido pelo juiz Zéu Palmeira Sobrinho da 10ª Vara do Trabalho, no dia 5 de setembro.

No dia 11 o Santander resolveu usar a polícia para abrir a agência. Alegando direito de ir e vir e assediando publicamente seus funcionários, os PMs conseguiram abrir a agência que foi fechada minutos depois. No dia seguinte novamente a PM foi chamada, representantes dos bancários, vigilantes, policiais, empresa e o mandato do deputado Sandro Pimentel tentaram chegar a um acordo na Câmara Municipal. A esta altura os Ânimos já se encontravam acirrados e os representantes do Banco andavam pela cidade com seguranças armados para intimidar os sindicalistas.

Na manhã desta sexta, 13, finalmente o Santander recuou e abriu a agência com a presença de dois vigilantes armados. Somente assim todos que participaram dos dias de luta deixaram o local.

O diretor do Sindsegur, Gerson Gomes, destacou a união dos trabalhadores nessa vitória e agradeceu a todos que fizeram a luta. “Tivemos que enfrentar até mesmo o estado no momento em que a polícia chega e afirma que vai prender um trabalhador que está lutando pelo direito a vida”, falou.

Márcio Lucena, também diretor do Sindicato, lembrou o papel fundamental do mandato de Sandro Pimentel que além de ter apoiado a luta também é o autor do Projeto de Lei 111/2016 que obriga as instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas no município de Natal, a contratar vigilância armada para atuar durante 24h, inclusive em finais de semana e feriados.  A luta agora é aprovar a mesma lei em âmbito estadual.