Juiz bloqueia contas da Garra Vigilância numa prova da legitimidade da nossa luta

Por assessoria de imprensa | Fotografia: Taian Marques

2956

Na manhã desta sexta-feira (15/01) os vigilantes da empresa Garra realizaram mais um ato da greve em frente ao hospital Walfredo Gurgel. Em seguida os trabalhadores participaram de uma assembleia de avaliação do movimento que também aprovou a continuidade da greve por tempo indeterminado.

Iniciada na última quarta-feira a cada dia a greve dos vigilantes da Garra se fortalece mais e soma forças dentro e fora da categoria. Exemplo disso são as constantes declarações de apoio de representantes do movimento sindical e popular, como o Sindicato dos Médicos, dos Odontologistas, Sindforte e dos trabalhadores da saúde. Além da grande participação dos vigilantes que tem dado uma lição de resistência e coragem.

De nada adianta as intimidações de bajuladores do governo e da empresa, pois os vigilantes não vão correr da raia. Toda e qualquer atitude de assédio moral e perseguição deve ser comunicada à direção do sindicato para que sejam tomadas as devidas providências.

O bloqueio das contas da Garra Vigilância no valor de R$ 1. 620,000,00, determinado pelo juiz Inácio André de Oliveira, da 7ª Vara do Trabalho, é uma prova da legitimidade da nossa luta pelo pagamento dos salários devidos aos vigilantes e o cumprimento de direitos trabalhistas como no caso das férias.

Na próxima segunda-feira, dia 18, será realizada uma grande marcha da greve. Concentração às 8h no hospital Walfredo Gurgel. Participe e leve sua família para tornar pública a nossa indignação com a Garra Vigilância e a Sesap (Secretaria de Saúde do Estado). A greve continua firme e forte. Vamos todos à luta”

COMPARTILHAR