SINDSEGUR participa de Encontro Encontro organizado pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo 2014

por Assessoria de Imprensa | Foto: Rogério Marques

No dia 1 de agosto o coordenador-geral do SINDSEGUR, Francisco Benedito (Bené), participou do Encontro Estratégico para Desenho da Operação de Segurança Privada. O evento organizado pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 ocorreu na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com o objetivo de fazer uma avaliação da Copa das Confederações e debater os preparativos para a Copa 2014.

 

bene

Segundo Bené, na avaliação da FIFA, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL) a segurança feita por vigilantes na Copa das Confederações foi um sucesso. Durante todo o evento não foi registrado nenhum incidente.

Durante a Copa do Mundo 2014 a operação de segurança terá um desafio bem maior. Serão 32 dias de evento, 64 jogos, 32 times, 12 cidades sedes, 550 sessões de treinamento, 250 voos das seleções, milhares de torcedores brasileiros e estrangeiros. Uma escala de trabalho bastante exigente para a segurança. Para garantir que os vigilantes desenvolvam suas atividades sem nenhuma dificuldade será garantido todo o aparato necessário, como alimentação e vestuário específico com coletes identificados.

Para garantir esse rigoroso esquema e evitar qualquer tipo de exploração contra os trabalhadores será feita uma supervisão por uma comissão representada pelo SINDSEGUR, Polícia Federal e Ministério Público do Trabalho.

Segundo Bené, para a Copa 2014 serão criados 32 postos de segurança em cada cidade sede. Para isso, as empresas de segurança privada terão que participar das licitações que serão publicadas pela organização do evento. Para realizados contratos as empresas terão que comprovar que estão devidamente legalizadas junto à Polícia Federal e demais órgãos de fiscalização. Além disso, deverão ter uma avaliação do SINDSEGUR.

Para fazer parte da segurança da Copa 2014 os vigilantes terão que fazer cursos específicos na Polícia Federal e receber a carteira que credencia para trabalhar no evento durante escala de 12 horas. Além disso, é indispensável saber falar inglês e espanhol.

A formação especializada é fundamental para o trabalhador vigilante, pois é um patrimônio profissional que vai valorizar e fazer a diferença para o mercado de trabalho depois da Copa do Mundo. Até mesmo por que esses cursos especializados também serão exigidos para atuar nos eventos da Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e e os campeonatos estaduais.

Durante o encontro no Rio de Janeiro a FIFA e o Comitê Organizador Local cumprimentaram o SINDSEGUR e parabenizaram Bené pela sua participação como representante do RN nesse importante evento. Ao elogiar o andamento das obras do Arena das Dunas, os organizadores do evento chamaram a atenção de Bené para que fosse bastante observador em relação às relações trabalhistas, como piso salarial e demais benefício e direitos dos vigilantes.

“Na minha avaliação esse é um fator muito positivo, por que nos últimos dez anos os vigilantes do RN nunca tiveram tão presentes e representados por um entidade que cuida dos interesses da categoria. Essa é uma prova maior do comprometimento desta entidade sindical no que se refere a segurança patrimonial, que é essa que vai fazer a segurança da Copa no RN”, afirmou Bené. Ele aproveitou para chamar a atenção dos vigilantes para procurar se qualificar e valorizar cada vez mais a sua profissão.

COMPARTILHAR