SINDSEGUR visita base no interior do Estado

| por assessoria de comunicação

SAM_0101

De 15 a 18 de julho, o coordenador-geral do SINDSEGUR, Francisco Benedito (Bené), junto com os diretores Agricio Enedino (Imprensa), Ducinaldo Pereira (Patrimônio) e Pablo Henrique (Jurídico) visitaram locais de trabalho em vários municípios do Rio Grande do Norte. “Além disso, visitamos cidades que não fazem parte da nossa base territorial juridicamente, mas politicamente agora se faz sim necessário o SINDSEGUR fazer visitas a essas cidades”, declarou Bené.

O SINDSEGUR agradece a excelente receptividade que a diretoria do nosso sindicato encontrou em cada local de trabalho, em todas as cidades visitadas. Confira a relação: Parnamirim, São Gonçalo, Ceará-Mirim, São José de Mipibu, Currais Novos, Cruzeta, Acari, Patu, Caraubas, Jardim do Seridó, Portalegre, Campo Grande, Umarizal, Pau dos Ferros, Assu, Angicos, Parazinho, Touros, Santo Antonio, Nova Cruz, Mossoró, Macau.

A cada três meses serão feitas novas visitas com o mesmo objetivo de levar informações a todos os vigilantes do nosso estado e discutir eventuais problemas enfrentados pela base. A exemplo da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), em Pau dos Ferros, onde os vigilantes estavam enfrentando problemas junto à empresa que presta serviços de segurança àquela universidade. A convite da Ufersa a diretoria do SINDSEGUR participou de uma reunião para tratar dos problemas apontados.

Além da dificuldade para abertura de conta bancária pelos vigilantes para o devido pagamento pela empresa, havia a irregularidade no contrato de um vigilante que trabalha como horista, ganhando um salário mínimo. Segundo Bené, “Isso é ilegal. Essa função de vigilante horista não existe. Em todo o RN o vigilante tem que ser mensalista, mesmo que seja para tirar a hora da intrajornada, que é a hora de descanso de cada trabalhador”.

O SINDSEGUR manteve contato com o responsável pela empresa RN Vigilância, que prometeu resolver este problema e refazer o contrato do vigilante, que passará a ganhar o piso salarial da categoria, que é R$ 966,53.

“Agradecemos ao representante da Ufersa, Senhor Alex, pela receptividade, não só com essa diretoria, mas pelo respeito que ele demonstrou em defender os trabalhadores”.

O SINDSEGUR não aceita nenhum tipo de exploração. Estamos vigilante a qualquer ato que prejudique o trabalhador. Seja mais um a fortalecer ainda mais o nosso sindicato.

[nggallery id=11]

COMPARTILHAR