Dissídio Coletivo 2020

0
402
Em audiência de conciliação realizada sob a direção da Desembargadora do TRT, o representante legal do SINDESP foi determinado a apresentar a contraproposta ao SINDSEGUR, tendo informado que as empresas terceirizadas de vigilância não têm condições de conceder reajuste aos trabalhadores e que poderia apenas majorar os R$ 0,40 referente ao vale-refeição. Da parte do SINDSEGUR, foi reiterada a defesa do reajuste no percentual de 4,8%, acréscimo de R$ 5,00 no valor do vale-refeição e pagamento do retroativo.
Uma vez que o sindicato patronal não concordou com as propostas do SINDSEGUR, a desembargadora pediu esclarecimentos ao advogado laboral para que o mesmo relatasse o estágio atual das negociações, informando ele que seis empresas ingressaram com ações judiciais, através dos quais obtiveram liminares que cercearam o direito de exercício de greve da categoria, razão pela qual fez os vigilantes, reunidos em Assembleia, decidirem pela suspensão do movimento grevista por tempo indeterminado.
Ante a impossibilidade de avanço de negociação pela postura intransigente do SINDESP – que apenas aceita negociar nos seus termos, a desembargadora determinou ao SINDSEGUR que apresente nos autos do processo do dissídio todos os processos que foram ajuizados pelas empresas contra o movimento grevista, determinou o encerramento de audiência de conciliação e marcará nova data para audiência de instrução julgamento.

 

A hora é essa, de toda a categoria estar unida e colocar todas as vibrações positivas direcionadas ao julgamento do dissidio coletivo. E esperar uma decisão favorável aos trabalhadores vigilantes.