Com Louvor, SINDSEGUR Finaliza Entregas de EPI’s.

0
157

Trabalhos realizados e concluídos com sucesso nas entregas dos EPI’s pelo SINDSEGUR aos trabalhadores vigilantes que laboram em hospitais e bancos, que não receberam EPI das empresas. O sindicato inicialmente executou notificações a todas as empresas, através, de ofícios, para que as empresas tomassem as medidas cabíveis a respeito das entregas de kits; para minimizar na categoria, a proliferação do COVID-19. Desde o inicio da pandemia o sindicato vem trabalhando para que as empresas tomassem uma atitude de responsabilidade quanto aos trabalhadores vigilantes, nos quais se tornaram uma categoria essencial devido ao grande trabalho realizado na sociedade.

Contudo, nem todas as empresas entregaram os EPI´s aos seus trabalhadores. A empresa Interfort Segurança, uma das maiores empresas do Nordeste brasileiro, deixou de entregar os kits de proteção individual a cada trabalhador. E justamente a empresa que tem os maiores contratos na rede bancária e Hospitalar (estadual e municipal), fez vista grossa diante dos seus trabalhadores e não puxou a responsabilidade para si, na entrega de máscaras e álcool em gel para os vigilantes em seus postos de serviços.

Com alegações infundadas de que faltavam materiais no mercado e alegando também que estava orientando os funcionários da importância dos equipamentos de proteção individual de uma forma superficial. Entretanto, o sindicato liderado pela sua diretoria caiu em campo e comprou material para elaboração de kits de proteção individual, contendo: 3 mascaras descartáveis, um tubo de álcool em gel e dois pares de luvas látex. Mostrando a empresa Interfort, que se arregaçarem as mangas, consegue o material de qualquer forma. Porém, durante à pandemia, nada da empresa comprar o material. Mais uma vez o sindicato utilizou as próprias finanças dos trabalhadores sócios, e mandou confeccionar mais de mil máscaras de proteção, em tecido, provando novamente que a empresa não queria gastar com os seus trabalhadores vigilantes, que arriscavam as suas vidas no cotidiano do seu trabalho podendo  ser infectados, pelo CORONAVÍRUS.

As entregas foram finalizadas na grande Natal e em algumas cidades do interior. A Interfort além de fazer uma barbaridade com os seus funcionários, vem se utilizando da suspensão das negociações salarias para contratar intermitentes, já que em nossa CCT 2019-2020 não existe contratos intermitentes. Porque entendemos que o intermitente é usado pela empresa para massacrar os trabalhadores. Lembrando, que intermitente não tem salário fixo (salário da categoria), recebe por hora e quando a empresa, assim, quiser. O Sindsegur e a Confederação Nacional dos Vigilantes estão lutando contra esses tipos de empresas que só querem sugar, o suor e o sangue de cada trabalhador vigilante, sem ver o lado humano dos seus funcionários. Denúncias: (84) 3322-2076 (seg – sex/8h às 12h).