Flexibilizar é reduzir direitos e fragilizar ainda mais os trabalhadores

0
816

Por assessoria de comunicação | Fotografia: Taian Marques

Nesta segunda-feira (20/6) o Sindsegur participou de mais uma audiência na Superintendência Regional d0 Trabalho e Emprego (SRTE).

Em questão, uma proposta inconveniente feita pela empresa Interfort para que o sindicato seja mais flexível em relação aos constantes atrasos nos salários dos vigilantes que trabalham nos postos da Sesap (Secretaria Estadual de Saúde Pública). 

A flexibilização é extremamente favorável para o empregador, que extrai maiores lucros reduzindo custos e, assim, transfere parte do risco do negócio para o trabalhador que é prejudicado pela desorganização da vida social, além dos diversos riscos de acidentes que envolvem a profissão.

Para o coordenador geral do Sindsegur, Francisco Benedito ( Bené), flexibilizar é reduzir direitos e fragiliza ainda mais os trabalhadores. “A gente quer o cumprimento da convenção coletiva, o pagamento dos vigilantes tem que ser feito até o quinto dia útil de cada mês. Nós representamos os trabalhadores, a parte do sindicato é cobrar e usar a lei”, afirmou Bené.

Diante disso, o procurador do trabalho, Claudio Gabriel, agendou uma nova audiência para o dia 4 de julho, onde deverá ser apresentada uma nova proposta por parte da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) e da Sesap.

O papel do sindicato é defender o trabalhador, por isso a direção do Sindsegur vai continuar na luta e cobrar, política e juridicamente, que as empresas assumam a responsabilidade de cumprir seus compromissos trabalhistas. Vamos à luta!