Coordenador-geral do Sindsegur vítima de assalto junto com seu colega de serviço

0
71
O coordenador-geral do SINDSEGUR, Francisco Benedito (Bené), junto com seu colega de serviço, Donizete Soares, foram vítimas de assalto enquanto trabalhavam na noite desta quinta-feira (11/4) no prédio da Secretaria de Estado de Educação e da Cultura, no Centro Administrativo localizado no bairro de Lagoa Nova, em Natal.

Nove homens armados de pistolas invadiram o local e renderam Bené e seu colega de serviço, além de funcionários que se encontravam no local. Bené e os demais reféns passaram cerca de 4 horas sob a mira das armas dos ladrões, que usaram maçaricos para arrombarem três caixas eletrônicos do Banco do Brasil e depois fugirem levando o dinheiro dos caixas.

Em seguida a Polícia foi acionada e o assalto foi registrado na Delegacia de Plantão Zona Sul através de Boletim de Ocorrência.

Lamentavelmente, esse é mais um assalto que expõe a violência e o risco de vida a que todos os vigilantes estão submetidos. É por isso, senhores empresários de segurança privada, que a categoria não precisa provar mais nada sobre a necessidade do pagamento do adicional de Risco de Vida, equivalente a 30% de periculosidade.

Infelizmente o pagamento do adicional não evita a onda de violência enfrentada diariamente por homens e mulheres que vestem a farda das empresas de vigilância para defender patrimônios alheios às suas vidas. No entanto, os 30% do Risco de Vida representam uma grande conquista da categoria. Um direito histórico conquistado na raça e  na marra e que os patrões se negam a reconhecer.

Pois bem, senhor patrão, o vigilante quer fazer valer o suor do seu trabalho, pois não é nenhum panaca. Apesar de um período recente de escravidão, agora a categoria vigilante está sacudindo a poeira, dando a volta por cima e não vai deixar meter a mão no que é seu de fato e de direito.

O trauma de passar horas com a cara exposta diante de pistolas e metralhadoras assassinas não tem dinheiro que faça esquecer. Daí a grande luta por respeito, dignidade e vida decente. Muito embora o risco de vida seja permanente nessa profissão cercada de perigo.

O SINDSEGUR nunca vai se curvar. Ao contrário, vai cada vez mais fortalecer o grito e levantar bem alto a bandeira da classe trabalhadora. Mesmo diante dos perigos o SINDSEGUR bota fé na moçada e reafirma a necessidade de seguir em frente na luta e jamais fugir da raia. Apesar do sufoco do momento faz necessário acreditar que as conquistas virão através da batalha de todos os dias. Junte-se à luta pela valorização da  categoria e seja mais um a dizer não aos que enriquecem à custa do trabalho escravo.